Na última semana, entre os dias 03 e 06 de outubro, foi dado um passo fundamental para o Planejamento Estratégico do Instituto Federal do Acre – IFAC: o diagnóstico estratégico campus a campus. Em fóruns realizados nos campi de Cruzeiro do Sul, Tarauacá e Sena Madureira, o IFAC e a STEINBEIS-SIBE do Brasil puderam consultar todos aqueles envolvidos com o dia a dia da instituição. Os “Encontros com a Comunidade” reuniram desde servidores do IFAC até convidados externos, incluindo lideranças indígenas.

Os participantes elaboraram propostas de iniciativas dentro de cinco temas: Empreendedorismo e Interação com o Mercado; Responsabilidade e Inclusão Social; Internacionalização e Inserção Social; Ciência, Tecnologia e Inovação; e Articulação com a Sociedade. A metodologia utilizada oportunizou a discussão dos participantes em todos os eixos temáticos, e assim, sugeriram as ações a serem implementadas nos próximos 20 anos.

Uma série de ações transversais foram propostas, como a promoção de políticas institucionais permanentes de inclusão social e capacitação dos servidores quanto às necessidades especiais dos discentes, ou ainda maior visibilidade de ações desenvolvidas pelo Instituto, potencializando a comunicação institucional visando melhor aproximação e o relacionamento com a sociedade. Os campi também tiveram uma série de ações individuais definidas. Confira a lista com as principais determinações abaixo:

Ações transversais
  • Diagnosticar as potencialidades econômicas e produtivas de cada região.
  • Desenvolver pesquisas para agregar valor e funcionalidades em produtos e matérias-primas regionais.
  • Desenvolver mecanismos e parcerias para facilitar o ingresso de alunos ao mercado de trabalho.
  • Criar um núcleo de empreendedorismo para estudos e implementação local.
  • Buscar soluções técnicas para os problemas ambientais que a comunidade local enfrenta por meio de pesquisa e cursos de extensão.
  • Trabalhar ações e capacitações FIC para as comunidades de acordo com cada arranjo produtivo local em recursos naturais.
  • Promover políticas institucionais permanente de inclusão social e capacitação dos servidores quanto as necessidades especiais dos discentes.
  • Adequar a infraestrutura física e de equipamentos para facilitar o acesso e o aprendizado dos alunos portadores de necessidades especiais.
  • Desenvolver e fortalecer parcerias internacionais de intercâmbio de docentes e discentes.
  • Estimular a criação de fóruns e congressos internacionais visando maior disseminação do conhecimento e o compartilhamento de informações e técnicas de ensino.
  • Desenvolver e aprimorar laboratórios e equipamentos de pesquisa.
  • Fomentar parceiras institucionais que contribuam com a troca de conhecimento e aprendizado pelo o uso de laboratórios e infraestruturas de pesquisa.
  • Fomentar a captação de recursos junto ao FAPAC, CNPQ, FINEP, Fundo da Amazônia, Banco Mundial entre outras.
  • Aprimorar o acesso e expandir o acervo bibliográfico.
  • Dar visibilidade às ações desenvolvidas pelo Instituto. Potencializar a comunicação institucional visando melhor aproximação e o relacionamento com a sociedade.
  • Participar e contribuir em eventos regionais com o intuito de fortalecer a imagem institucional.
  • Firmar parcerias e intensificar as existentes contribuindo com resultados efetivos para a comunidade acadêmica e civil.
Ações específicas de cada Campi

Cruzeiro do Sul

  • Estimular o desenvolvimento de economia criativa e empreendedorismo social.
  • Realizar diagnóstico das potencialidades regionais e identificar agricultores e empresas exitosas com visão empreendedora.
  • Investir em pesquisa e extensão aplicada para buscar soluções técnicas para os problemas ambientais que a comunidade local enfrenta.

Tarauacá

  • Divulgar o valor cultural agregado dos bens produzidos / agregar valor cultural (selos, certificações)
  • Contribuir para a promoção de ecoturismo nas aldeias e comunidades indígenas.
  • Realizar visitas técnicas às comunidades indígenas e tradicionais visando identificar potencialidades e intercâmbio de ideias.

Sena Madureira

  • Desenvolver projetos e pesquisa ligada aos produtos regionais visando agregar valor e contribuir para a expansão do seu conhecimento e inserção no mercado brasileiro.
  • Ofertar cursos na área de piscicultura voltados ao pequeno produtor, processamento de peixes.
  • Promover projeto de extensão para sensibilização de crianças e alunos no tocante à educação ambiental.

 

Participaram dos fóruns servidores e lideranças locais da sociedade civil, bem como a reitora Rosana Cavalcante dos Santos; a Pró-reitora de Planejamento e Desenvolvimento Institucional, Gírlen Nunes; o Diretor de Planejamento e Gestão, Daniel Pena; e os consultores da STEINBEIS-SIBE do Brasil, Peter Dostler e Marcus Flávio Lenza.